O martírio de Pe. Hamel 6 anos atrás: seu túmulo é destino de peregrinação

A diocese de Rouen recorda do sacerdote morto por militantes jihadistas com várias celebrações e uma campanha de arrecadação de recursos para criar um espaço de acolhimento para os peregrinos que, em número sempre crescente, vão descobrir a figura de Padre Hamel e rezar no seu túmulo. Enquanto isso, o processo de beatificação do presbítero continua, tal como o da justiça francesa contra aqueles que idealizaram o assassinato.

27 • JUL • 2022
 

Marco Guerra - Vatican News

Em 26 de julho de 2016, a fúria jihadista matava o padre Jacques Hamel na sua igreja em Saint-Etienne-du-Rouvray, em Rouen, na Normandia, na França, enquanto celebrava a missa. No final da celebração litúrgica, dois seguidores do proclamado Estado islâmico cortaram a garganta do padre idoso de 85 anos. Forçado a se ajoelhar, pronunciou algumas palavras antes de dar o seu último suspiro, que soam como um ato de fé e perdão, fugindo ao ódio contra os seus assassinos: "Vai-te embora, Satanás! Longe de mim, Satanás".

O processo de beatificação

Seis anos após aquele brutal assassinato que abalou a alma mais profunda da França, o processo de beatificação e reconhecimento do martírio de Padre Hamel está sendo examinado pelo Dicastério para as Causas dos Santos, após ter passado a fase diocesana em março de 2019. Entretanto, em 17 de fevereiro, o processo judicial contra os dois jovens terroristas que mataram o padre começou no Tribunal de Paris.

Os dois esfaqueadores afiliados ao Daesh, Adel Kermiche e Abdel-Malik Petitjean, foram mortos pela polícia; há três suspeitos no banco dos réus acusados de terem desempenhado um papel na preparação do ataque. São eles: Farid Khelil, 36 anos; Yassine Sebaihia, 27; e Steven Jean-Louis, 25, que correm o risco de pegar até 30 anos de prisão, também por propaganda jihadista e várias tentativas de viajar para a Síria. O presunto mandante do ataque, Rachid Kassim, um dos teóricos da "guerra religiosa" do Daesh, que provavelmente foi morto em Mosul, também será julgado à revelia.

As comemorações do sexto aniversário

No aniversário do seu martírio, como todos os anos, a diocese de Rouen comemora o Padre Hamel. As celebrações foram abertas na noite desta segunda-feira (25) com uma vigília de oração em memória do sacerdote e das vítimas do terrorismo. Nesta terça-feira (26), as celebrações continuaram primeiro com uma marcha silenciosa, desde a casa onde o padre vivia até a igreja, onde a missa era celebrada às 9 da manhã. Depois, às 10h30, realizou-se a comemoração civil, com alguns representantes das instituições, em frente à "estela da fraternidade", erguida em memória do padre assassinado.

Um espaço para os peregrinos

Para marcar o aniversário, a paróquia de Saint Etienne também lançou outra iniciativa para valorizar a experiência dos muitos peregrinos que vêm meditar na igreja onde o Padre Hamel exerceu o ministério sacerdotal. A paróquia iniciou a criação de um espaço de acolhimento que pode acomodar até 80 pessoas nas salas adjacentes ao presbitério onde o Padre Hamel morava. Conferências e exposições também podem ser organizadas nesse espaço, e os peregrinos podem ser acomodados ali antes de continuar a viagem para outros lugares espirituais.

Entretanto, as instalações precisam de grandes reformas e uma campanha de arrecadação de fundos foi lançada pela Associação "Amigos do Padre Hamel". Também existe um projeto em andamento para criar verdadeiros itinerários espirituais para os peregrinos que, em número cada vez maior, se deslocam à região.