Milagre eucarístico de Santarém, em Portugal, começa depois de ato sacrílego

Portugal vai viver no próximo fim de semana, de 31 de maio a 2 de junho, o seu quinto Congresso Eucarístico Nacional, em Braga, começando um dia depois da solenidade de Corpus Christi (31).

28 • MAI • 2024
 

Há mais de 700 anos, na cidade de Santarém, o país foi palco de um milagre eucarístico. O milagre eucarístico de Santarém, também chamado de Santíssimo Milagre, começou com o ato sacrílego de uma mulher.

 

Alguns relatos datam o milagre de 1247, outros, falam em 1266. O fato aconteceu quando uma mulher que era maltratada e traída pelo marido decidiu pedir ajuda a uma bruxa. A feiticeira prometeu ajudá-la, mas, para isso, precisava de uma hóstia consagrada.

 

A mulher foi até a igreja de Santo Estêvão e recebeu a Sagrada Eucaristia. Com cautela e sem que outros percebessem, ela não consumiu a hóstia, tirou-a da boca e a envolveu em seu véu.

 

Quando saiu da igreja e se dirigia para a casa da bruxa, várias pessoas perceberam que sangue escorria de seu véu e a perguntaram se estava ferida. Assustada e ao perceber o que estava acontecendo, a mulher foi para sua casa e guardou a hóstia consagrada em um baú.

 

Seu marido voltou para casa à tarde e, à noite, os dois acordaram com a casa resplandecente e, do baú, saiam raios de luz. A mulher, então, contou ao seu marido o que tinha feito e os dois passaram o resto da noite ajoelhados, em adoração.

 

No dia seguinte, informaram ao pároco o que havia acontecido. A notícia também se espalhou pela cidade e muitos foram ao local. O padre foi até a casa e a Eucaristia foi levada em procissão até a igreja de Santo Estêvão, acompanhada por religiosos e leigos. A hóstia sangrou por três dias consecutivos e foi conservada em um relicário feito de cera de abelha.

 

Em 1340, aconteceu outro milagre. Quando o padre abriu o sacrário, viu que o vaso de cera de abelha estava em pedaços. Em seu lugar estava uma âmbula de cristal e o sangue da hóstia tinha se misturado com a cera. A âmbula foi colocada em um ostensório de prata dourada, onde está ainda hoje. A Sagrada Partícula fica guardada em um trono eucarístico do século XVIII sobre o altar principal da igreja de Santo Estêvão, que em 1997 foi elevada a santuário do Santíssimo Milagre de Santarém.

 

O local onde era a casa da mulher, foi transformado na Ermida do Milagre.

 

Desde aquela época, todos os anos, no segundo domingo de abril acontece a Festa do Santíssimo Milagre, quando a relíquia é levada em procissão pelas ruas da cidade.

 

Na festa deste ano, o bispo de Santarém, dom José Traquina, disse que “a partir deste ano em que acontece em Portugal, Braga, o V Congresso Eucarístico Nacional seria muito bom que neste santuário do Santíssimo Milagre houvesse diariamente a exposição do Santíssimo Sacramento”.

 

O milagre eucarístico de Santarém é um dos vários que aconteceram no mundo e foram catalogados pelo beato Carlo Acutis na exposição “Os Milagres Eucarísticos no mundo”. Segundo os registros do beato, entre os testemunhos milagre eucarístico está “o de Francisco Saverio [Xavier], apóstolo da Índia, que visitou o santuário antes de se deslocar em missão”.

 

O próprio beato Carlo Acutis, que teve o milagre para sua canonização reconhecido pela Santa Sé no dia 23 de maio, visitou o santuário do santíssimo Milagre de Santarém.

 

 

Fonte:acidigital

Fotógrafo: Reprodução foto do site ACI Digital