Espanha: Card. Semeraro preside à beatificação de 27 mártires

"Os novos Beatos foram vítimas da mesma perseguição, que, no século passado, causou a morte de centenas e centenas de cristãos: ministros sagrados, pessoas consagradas e fiéis leigos. Eram pessoas com histórias diferentes, mas unidas pelo carisma de São Domingos, que sempre viveram sua escolha vocacional com fidelidade, coerência e generosidade."

20 • JUN • 2022
 

Manoel Tavares - Vatican News

O Cardeal Marcello Semeraro, Prefeito do Dicastério das Causas dos Santos presidiu na manhã deste sábado (18/6), na Catedral de Sevilha, Espanha, à Santa Missa de Beatificação de um grupo de mártires da Ordem de São Domingos ou Dominicanos espanhóis: Ângelo Marina Alvarez e 19 Companheiros; João Aguilar Donis e 4 Companheiros; Frutuoso Pérez Marquez, leigo; Isabel Sanchez Romero, religiosa professa, todos mortos por ódio à fé, durante a guerra civil na Espanha.

Em sua homilia, o Cardeal Semeraro partiu da Exortação Apostólica do Papa Francisco “Gaudete et exsultate” (“Alegrai-vos e exultai”), onde se lê: “As perseguições não são uma realidade do passado, porque, ainda hoje, também as sofremos, de forma cruenta, como tantos mártires contemporâneos, como de maneira mais subtil, através de calúnias e falsidades”. Por isso, exortou os presentes para seguir o exemplo dos nossos mártires, que nos confortam. Devemos ter confiança apesar das nossas fragilidades, pois Deus dá a sua força, a força do martírio, sobretudo aos mais frágeis e indefesos.

Depois, citando Santo Agostinho, o Cardeal disse que “todo sangue tinge de vermelho, mas o sangue do Cordeiro confere candor, porque é o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo. É o sangue que Cristo derramou para a remissão dos pecados".

Nesta perspectiva profética, o Cardeal Semeraro convidou os fiéis a olhar, hoje, para este consistente grupo de Servos de Deus, que acabam de ser proclamados mártires e declarados Beatos, que pertencem àquele "exército de mártires" que louvam ao Senhor. Os novos Beatos foram vítimas da mesma perseguição, que, no século passado, causou a morte de centenas e centenas de cristãos: ministros sagrados, pessoas consagradas e fiéis leigos. Eram pessoas com histórias diferentes, mas unidas pelo carisma de São Domingos, que sempre viveram sua escolha vocacional com fidelidade, coerência e generosidade.

Aqui, o Cardeal Marcello Semeraro fez uma referência particular à única mulher do grupo de mártires, Irmã Isabel Sanchez Romero, que, com a Profissão Perpétua recebeu o nome de Ascensão de São José. A figura desta monja Dominicana resplandece com uma luz especial: junto com outros, foi cruelmente torturada, por renunciar a blasfemar e pisar no crucifixo. Seu crânio foi decepado por não negar à fé. Pelo contrário, morreu louvando a Cristo Rei e Santíssimo Sacramento. Esta mártir é para nós exemplo de verdadeiro testemunho cristão.

Recordando a festa de Corpus Christi e Liturgia de hoje, o Cardeal Semeraro disse: “Todos nós nos nutrimos do Corpo de Cristo e nos deixamos santificar pelo seu precioso sangue. Um cristão ou um grupo de cristãos irradia a fé e a esperança”.

O Cardeal concluiu sua homilia citando a exortação do Papa Francisco à santidade: “Vivemos o Evangelho, em nossos dias, apesar das tantas ambições de poder e interesses mundanos. Nossa sociedade é alienada e envolvida em uma trama política, midiática, econômica, cultural e até religiosa, que impede o autêntico desenvolvimento humano e social. Por isso, sigamos o exemplo dos nossos mártires, com esperança e amor. Tenhamos confiança, apesar das nossas fragilidades. Deus concede a sua força aos mais frágeis e indefesos, sobretudo, a força do martírio”.