Dom Savino a neossacerdotes: "ser padres não significa pertencer a uma casta"

"O risco, sempre recorrente na vida sacerdotal, é o de se tornarem funcionários, burocratas do sagrado!" "Em tempos de mudança de época, complexos e complicados, onde a cultura da indiferença para com Deus parece ser uma nota característica, a credibilidade de um presbítero consagrado é viver seu amor por Cristo e seu Evangelho como testemunha", disse o bispo vice-presidente da Conferência Episcopal Italiana (CEI), dom Francesco Savino, dirigindo-se aos novos sacerdotes por ele consagrados

01 • AGO • 2022
 

"Ser sacerdote não significa absolutamente fazer parte de uma casta, de uma elite chamada presbitério, mas significa viver na certeza de que tudo é graça e o verdadeiro poder é o amor."

Foi o que afirmou o bispo de Cassano all'Jonio – na Calábria - e vice-presidente da Conferência Episcopal Italiana (CEI), dom Francesco Savino, dirigindo-se aos neossacerdotes que ele consagrou na basílica catedral da cidade jônica. Receberam a ordenação presbiteral Luca Pitrelli e Mansueto Corrado, com 37 e 26 anos respectivamente.

Quando Deus nos visita e muda toda nossa vida

Em sua homilia, o bispo enfatizou que "em nossas vidas, o outro sempre chega de forma imprevisível e inesperada, nem sempre desejado e querido em nosso mundo porque ocupa espaços e muda nossos planos, impedindo-nos de concentrar toda nossa atenção em nós mesmos".

"Isso também acontece, ainda mais quando o outro é Deus, que chega inesperadamente em nossa existência e nos distrai da atenção narcisista e obsessiva que sempre reservamos para nosso ‘eu’. Se não houvesse esta visitação de Deus, ficaríamos presos para sempre em uma adoração banal e estéril de nós mesmos."

Viver o amor por Cristo e seu Evangelho como testemunha

Em seguida, o bispo Savino exortou os dois novos sacerdotes a se deixarem converter pelo encontro de Jesus com Marta e Maria, sintetizando, isto é, reunindo Marta e Maria na vida. "O risco, sempre recorrente na vida sacerdotal - advertiu o prelado -, é o de se tornarem funcionários, burocratas do sagrado!"

"Em tempos de mudança de época, complexos e complicados, onde a cultura da indiferença para com Deus parece ser uma nota característica, a credibilidade de um presbítero consagrado é viver seu amor por Cristo e seu Evangelho como testemunha".

(com Sir)