Qual a diferença entre propósito e sentido de vida?

17.Janeiro.2024
 

Embora para muitas pessoas os termos “propósito” e “sentido de vida” tenham o mesmo significado, se adentrarmos na essência de cada um veremos que se trata de coisas distintas.

Isso mesmo. Propósito e sentido de vida não são a mesma coisa, embora façam parte de um mesmo universo: o autoconhecimento.

Meditar sobre essas duas realidades nos fazem enxergar as coisas externas através daquilo que carregamos dentro de nós mesmos e que impulsiona as nossas vidas.

Dessa forma, reconhecer o nosso propósito e sentido de vida é essencial para quem deseja viver da melhor forma possível.

Continue lendo este texto e descubra a diferença entre estes dois termos e a importância deles para a nossa existência.


O que é propósito de vida

A palavra propósito vem do Latim proponere, que significa pro: à frente; e ponere: colocar. Na sua origem, a palavra significa “colocar à frente”, “expor à vista”.

Dessa maneira, já compreendemos que o propósito de vida diz respeito àquilo que está a frente de alguma coisa. Neste caso, está a frente de nós mesmos.

Podemos entender que a palavra propósito diz respeito a algo que vai a nossa frente, que, de certa forma, norteia e conduz a nossa vida. Sendo assim, quem tem um bom propósito, um firme propósito, pode chegar muito mais longe do que aquele que não possui nada que o impulsione.

Dessa maneira, quem possui um propósito de vida, têm suas decisões e escolhas realizadas mediante este propósito e encontra nele forças para ressignificar as dificuldades presentes no percurso.

A nossa vida deve ter um propósito, um projeto especial, único e irrepetível. Afinal de contas, somos únicos e podemos até encontrar alguém parecido, mas nunca igual a nós.

Sendo assim, ninguém sonha exatamente igual. Logo, o que eu posso fazer nunca será feito igualmente por outra pessoa.

Dessa forma, somos convidados a olhar para o nosso interior e ver aquilo que grita em cada um de nós. Nossos dons, aptidões e boas inclinações nos induzem a realizar um bem ao longo desta passagem aqui na terra.

Não podemos simplesmente viver de qualquer maneira, mas esta vida exige um algo a mais, uma motivação, um impulso. E a partir do momento que colocamos em prática as nossas habilidades inatas e adquiridas em prol do outro podemos aí ter encontrado o nosso propósito.

Assim, quem tem um bom propósito, um firme propósito, diferentemente daquele que não possui, produzirá frutos em sua vida e na vida dos que estão à sua volta.


Propósito de vida a luz da fé

Quando olhamos sob a ótica da fé, esse propósito torna-se ainda mais forte, capaz de nos mover vigorosamente em busca de algo.

Na vida espiritual, todo aquele que possui um propósito se desloca ainda mais rápido em busca dessa realização. Afinal de contas, todo propósito só tem sentido se houver um desejo de realizá-lo.

Sendo assim, aquele que possui um propósito de vida na caminhada espiritual tem uma vida dinâmica que não admite a estagnação.

De fato, aquele que descobre na fé em Deus o seu propósito de vida não permanece na passividade, mas assume com protagonismo as suas circunstâncias e as utiliza como um impulso para chegar onde se pretende.

Todo aquele que possui um propósito em Deus jamais poderá perder de vista o próprio Deus, pois é para Ele que todas as coisas existem.

Deus é aquele que nos fortalece em cada passo que damos, em cada projeto que aspiramos. É Ele que enobrece os nossos desejos e aspirações. Dessa maneira, todo aquele que está em Deus não possui propósitos pequenos, mas, sim, propósitos que refletem na eternidade.

Se, portanto, ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus.Afeiçoai-vos às coisas lá de cima, e não às da terra. Porque estais mortos e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus” (Cl 3,1-3).

Você pode ler também:

Senhor, onde moras?

Papa Francisco: ensinar a adorar em silêncio

Quem tem ouvidos para escutar


Qual a diferença entre propósito e sentido de vida

Diferentemente do propósito, o sentido de vida, como o próprio nome já sugere, é para onde os nosso passos estão nos levando. Ou seja, qual a finalidade de cada ação nossa, mas, sobretudo, de nossa existência.

O sentido da vida esconde um segredo que só pode ser desvendado Naquele que é o autor da vida, ou seja, Deus. Como afirma o Catecismo da Igreja Católica: “Por amor, Deus revelou-Se e deu-Se ao homem. Dá assim uma resposta definitiva e superabundante às questões que o homem se põe a si próprio sobre o sentido e o fim da sua vida”.

Ora, se Deus nos criou, nesse ato de criação divina existe um porquê e para que. Portanto, o propósito e sentido de vida difere nesse aspecto: enquanto o primeiro nos faz dar passos cheios de significado nesta vida, o segundo nos nos faz transcender deste mundo para a eternidade.

Se formos levar em consideração o tempo, o propósito e sentido de vida, também tem suas diferenças. Enquanto o propósito nos conduz nesta vida, o sentido da vida nos mantém sempre ligados à eternidade.

Portanto, o propósito sem um sentido de vida transcendente é finito e limitado a esta realidade temporal. Da mesma forma, o sentido de vida sem um propósito nesta terra pelo qual se reflita na eternidade simplesmente não existe.

Então, o propósito e sentido de vida, embora se complementem, não são a mesma coisa. Porém, um está ligado ao outro e ambos ao autoconhecimento que se tem através do conhecimento de Deus.