FECHAR
 

Papa manifesta pesar por atentado perto de sinagoga na Alemanha

Ataque perto de uma sinagoga em Halle, leste do país, deixou dois mortos nesta quarta-feira, 9, no dia mais sagrado do calendário judeu

10 • OUT • 2019
 

O Papa Francisco abriu e fechou os trabalhos da sexta Congregação Geral do Sínodo Amazônico na tarde desta quarta-feira, 9, rezando pelos “irmãos judeus”. Na abertura, lembrou do Dia do Perdão celebrado pela comunidade judaica, uma festa religiosa chamada de Yom Kippur. Já no encerramento, o Pontífice recordou em oração as vítimas do atentado ocorrido próximo a uma sinagoga de Halle, no leste da Alemanha.


Atentado perto da sinagoga em Halle

Duas pessoas foram mortas e várias ficaram feridas no tiroteio desta quarta-feira, 9, e um suspeito já foi preso. O atentado aconteceu perto da sinagoga onde acontecia a festa religiosa judaica com a reunião de cerca de 80 fiéis.

 

Segundo o líder da comunidade, teria sido o próprio serviço de segurança do local a impedir o ingresso dos dois autores do atentado no lugar sagrado, enquanto uma explosão num cemitério judeu próximo da sinagoga fazia a primeira vítima.

 

A segunda pessoa que morreu, que também não era de origem judaica, estava num restaurante que vende kebabs – um prato típico do Oriente Médico – não muito distante do local sagrado. O homem que usou um fuzil em direção ao negócio que estava lotado, vestia roupa de combate. Logo em seguida, mais tiros, mas a 15 km de Halle, em Landsberg. A polícia continua em estado de alerta naquela região.

O Papa Francisco abriu e fechou os trabalhos da sexta Congregação Geral do Sínodo Amazônico na tarde desta quarta-feira, 9, rezando pelos “irmãos judeus”. Na abertura, lembrou do Dia do Perdão celebrado pela comunidade judaica, uma festa religiosa chamada de Yom Kippur. Já no encerramento, o Pontífice recordou em oração as vítimas do atentado ocorrido próximo a uma sinagoga de Halle, no leste da Alemanha.

 

Atentado perto da sinagoga em Halle

Duas pessoas foram mortas e várias ficaram feridas no tiroteio desta quarta-feira, 9, e um suspeito já foi preso. O atentado aconteceu perto da sinagoga onde acontecia a festa religiosa judaica com a reunião de cerca de 80 fiéis.

 

Segundo o líder da comunidade, teria sido o próprio serviço de segurança do local a impedir o ingresso dos dois autores do atentado no lugar sagrado, enquanto uma explosão num cemitério judeu próximo da sinagoga fazia a primeira vítima.

 

A segunda pessoa que morreu, que também não era de origem judaica, estava num restaurante que vende kebabs – um prato típico do Oriente Médico – não muito distante do local sagrado. O homem que usou um fuzil em direção ao negócio que estava lotado, vestia roupa de combate. Logo em seguida, mais tiros, mas a 15 km de Halle, em Landsberg. A polícia continua em estado de alerta naquela região.

 

A reação de Israel

De Israel, a dura reação do primeiro-ministro Benyamin Netanyahu ao afirmar que o atentado na Alemanha, no Dia do Perdão, “no dia mais santo para o nosso povo, é uma outra expressão que confirma que o antissemitismo na Europa está crescendo”. “Em nome do povo de Israel”, acrescenta ele, “envio condolências às famílias das vítimas e de rápida recuperação aos feridos. Faço um apelo às autoridades alemãs para que continuem a agir com determinação contra os fenômenos de antissemitismo”.

 

De Israel, a dura reação do primeiro-ministro Benyamin Netanyahu ao afirmar que o atentado na Alemanha, no Dia do Perdão, “no dia mais santo para o nosso povo, é uma outra expressão que confirma que o antissemitismo na Europa está crescendo”. “Em nome do povo de Israel”, acrescenta ele, “envio condolências às famílias das vítimas e de rápida recuperação aos feridos. Faço um apelo às autoridades alemãs para que continuem a agir com determinação contra os fenômenos de antissemitismo”. 

 

Fonte: Notícias Canção Nova