O Papa aos novos recrutas da Guarda Suíça: fidelidade à sua vocação batismal

"Saúdo cordialmente os novos recrutas que, seguindo o exemplo de muitos de seus compatriotas, escolheram dedicar um período de sua juventude ao serviço do Sucessor de Pedro", disse Francisco em seu discurso.

02 • OUT • 2020
 

O Papa Francisco recebeu em audiência nesta sexta-feira (02/10), na Sala Clementina, no Vaticano, os novos recrutas da Guarda Suíça Pontifícia e seus pais.

Francisco manifestou a alegria de encontrar os novos Guardas Suíços que farão o juramento no próximo domingo, dia 4, no Pátio São Dâmaso do Palácio Apostólico.

Saúdo cordialmente os novos recrutas que, seguindo o exemplo de muitos de seus compatriotas, escolheram dedicar um período de sua juventude ao serviço do Sucessor de Pedro. A presença de seus familiares expressa a devoção dos católicos suíços à Santa Sé, bem como a educação moral e o bom exemplo com que os pais transmitiram aos filhos a fé cristã e o senso de serviço generoso ao próximo. A minha grata saudação estende-se também aos representantes da Fundação para a Guarda Suíça Pontifícia.


Segundo o Papa, o encontro de hoje oferece a oportunidade de relembrar o ilustre passado da Guarda Suíça. O Pontífice recordou o “Saque de Roma”, em que os Guardas Suíços defenderem corajosamente o Papa, a ponto de dar a vida. “Que a memória desse evento possa evocar em vocês o perigo de um “saque” espiritual. No contexto social atual, muitos jovens correm o risco de ter a alma despida, quando seguem ideais e estilos de vida que respondem apenas a desejos ou necessidades materiais”, frisou o Pontífice.

 

Francisco espera que os novos recrutas possam aproveitar ao máximo as coisas positivas que a cidade de Roma oferece, durante sua permanência na Cidade Eterna. “Ela é rica de história, cultura e fé. Portanto, aproveitem as oportunidades que lhes são oferecidas para melhorar sua bagagem cultural, linguística e espiritual. O tempo que vocês transcorrerão aqui é um momento único na sua existência: que vocês o vivam com espírito de fraternidade, ajudando uns aos outros a levar uma vida rica de sentido e alegremente cristã”, disse ainda o Papa, acrescentando:

 

Que o juramento que vocês farão depois de amanhã seja também um testemunho de fidelidade à sua vocação batismal, ou seja, a Cristo, que os chama a ser homens e cristãos, protagonistas de sua existência. Com sua ajuda e com a força do Espírito Santo, vocês enfrentarão serenamente os obstáculos e desafios da vida. Não se esqueçam de que o Senhor está sempre ao seu lado: espero de coração que vocês sintam sempre a sua presença consoladora.


Francisco aproveitou a ocasião para agradecer novamente ao Corpo da Guarda Suíça Pontifícia “não só pelo que faz - que é muito! - mas também pela forma como faz”. “Santa Teresa de Calcutá dizia que no final da vida não seremos julgados por quantas coisas fizemos, mas por quanto amor colocamos nessas coisas”, concluiu o Papa, assegurando suas orações por todas as boas intenções da Guarda Suíça Pontifícia. 

 

Fonte: Vatican news