Ciência e solidariedade são aliadas no enfrentamento da pandemia, afirma físico brasileiro

O membro brasileiro da Pontifícia Academia das Ciências, Dr. Vanderlei Bagnato, comenta a realização da Plenária, centralizada sobre o coronavírus. Dr. Bagnato define como "fantástica" a atuação do Papa Francisco durante a pandemia. "O Papa mostra que a solidariedade, enquanto não temos solução - e mesmo após a solução - é um elemento essencial para que a gente possa conviver com a situação."

09 • OUT • 2020
 

A Pontifícia Academia das Ciências conclui neste dia 9 de outubro sua Plenária, a primeira realizada de forma virtual em decorrência da pandemia.

 

O coronavírus, aliás, foi o tema destes três dias de reuniões, que foram inspirados pela mensagem enviada aos participantes pelo Papa Francisco. “Apesar de estarmos superconectados, verificou-se uma fragmentação que tornou mais difícil resolver os problemas que nos afetam a todos” (cf. n. 7). Portanto é significativo que esta sessão plenária virtual da Academia reúna várias disciplinas científicas diferentes; neste sentido, ela oferece um exemplo de como os desafios da crise da COVID-19 devem ser enfrentados através de esforços coordenados ao serviço de toda a família humana", escreveu o Pontífice.


O membro brasileiro desta Academia é o Dr. Vanderlei Bagnato, Professor do Instituto de Física de São Carlos.

 

Nesta "entrevista" - também virtual - o professor comenta a realização da Plenária, dos desafios apresentados à sociedade com o coronavírus, a importância da ciência e de sua acessibilidade.

 

Dr. Bagnato define ainda como "fantástica" a atuação do Papa Francisco.

 

“O Papa mostra que a solidariedade, enquanto não temos solução - e mesmo após a solução - é um elemento essencial para que a gente possa conviver com a situação. O importante não sou o 'eu', mas o 'nós. O importante é essa solidariedade e essa cooperação, porque nem todos têm acesso imediato a tudo o que o mundo está propondo.”

 

Fonte: Vatican News